sexta-feira, 15 de Agosto de 2008

Ditados Populares - Letra Q

-Quando a esmola é grande, o santo desconfia.
-Quando a esmola é muita, o pobre desconfia.
-Quando chove antes da missa, toda a semana borriça.
-Quando chove em Agosto, não metas teu dinheiro em mosto.
-Quando é de morte o mal, não há médico para curar tal.
-Quando é velho o cão, se ladra é porque tem razão.
-Quando em Março arrulha a perdiz, ano feliz.
-Quando está fora o gato folga o rato.
-Quando Maio chegar, quem não arou tem de arar.
-Quando mal, nunca pior.
-Quando mija um português, mijam dois ou três.
-Quando minguar a Lua não comeces coisa alguma.
-Quando não chove em Fevereiro, nem prados nem centeio.
-Quando o ano é de leite, até os bodes o dão.
-Quando o burro é jeitoso, qualquer albarda lhe fica bem.
-Quando o pobre come galinha, um dos dois está doente.
-Quando Outubro for erveiro, Guarda para Março o palheiro.
-Quando se declara a guerra, o Diabo alarga o Inferno.
-Quando um burro zurra, os outros abaixam as orelhas.
-Quando um cai, todos o pisam.
-Quando vem Março ventoso, Abril sai chuvoso.
-Quanto maior a nau, maior a tormenta.
-Quanto mais alto se sobe, maior o trambolhão.
-Quanto mais barato estiver o pão, melhor canta o coração.
-Quanto mais conheço os homens, mais gosto dos cães.
-Quanto mais depressa, mais devagar.
-Quanto tens, quanto vales.
-Queijo com pão faz homem são.
-Queimada a casa, acudir com água.
-Queira ou não queira, o burro há-de ir à feira.
-Quem a boa árvore se encosta, boa sombra o acolhe.
-Quem a muitos há-de manter, muito há-de ter.
-Quem abana, nem sempre cai.
-Quem acompanha com coxo, ao terceiro dia coxeia.
-Quem ama a Beltrão, ama o seu cão.
-Quem anda à chuva, molha-se.
-Quem ao comer sua, ao trabalho amua.
-Quem ao moinho vai, enfarinhado sai.
-Quem aos vinte não é, aos trinta não tem, aos quarenta não é ninguém.
-Quem bebe no S. Martinho (11/11), faz de velho e de menino.
-Quem bem ama não esquece.
-Quem bem nada não se afoga.
-Quem boa cama fizer, nela se há-de deitar.
-Quem brinca com o fogo queima-se.
-Quem cabritos vende e cabras não tem, dalgum lado lhe vem.
-Quem caça de coração é o dono do furão.
-Quem cala, consente.
-Quem cansa sempre alcança.
-Quem canta antes d' almoço, chora antes do Sol posto.
-Quem canta, seu mal espanta.
-Quem casa filha, depenado fica.
-Quem casa, quer casa.
-Quem com farelos se mistura, porcos o comem.
-Quem com ferros mata, com ferros morre.
-Quem com os braços não pode, com os dentes acode.
-Quem com porcos sonha, até o mato lhe ronca.
-Quem come carne na vespera de Natal, ou é burro ou animal.
-Quem come fel, não pode cuspir mel.
-Quem compra barato, compra duas vezes.
-Quem compra terras, compra guerras.
-Quem confessa a verdade, não merece castigo.
-Quem conhece o seu Coração, desconfia dos seus olhos.
-Quem conta um conto, acrescenta-lhe um ponto.
-Quem convida de véspera, não quer que vá à festa.
-Quem corre por gosto, não cansa.
-Quem dá aos pobres, empresta a Deus.
-Quem dá e volta a tirar ao Inferno vai parar.
-Quem dá o pão, dá a educação.
-Quem dá o que tem, a pedir vem.
-Quem deixa o certo pelo incerto, ou é tolo ou pouco esperto.
-Quem desconfia, não é de confiar.
-Quem desdenha quer comprar.
-Quem deve a Pedro e paga a Gaspar, volta a pagar.
-Quem dívidas não tem, com a sua consciência está bem.
-Quem diz tudo o que quer, ouve o que não gosta.
-Quem é desconfiado não é sério.
-Quem é pobre não tem vícios.
-Quem é surdo, guarda segredos.
-Quem em Abril não varre a eira e em Maio não rega a leira, anda todo o ano em canseira.
-Quem em Janeiro lavrar, tem sete pães para o jantar.
-Quem em Julho ara e fia, Ouro cria.
-Quem em Maio não merenda, aos finados se encomenda.
-Quem em Maio relva, não tem pão nem erva.
-Quem em Março come sardinha, em Agosto lhe pica a espinha.
-Quem em novo não trabalha, em velho come palha.
-Quem em ruim terra nascer, sempre para ela há-de pender.
-Quem empresta não melhora.
-Quem encontrou sem muito procurar, é porque muito procurou sem encontrar.
-Quem espera sempre alcança.
-Quem espera, desespera.
-Quem está de fora, não racha lenha.
-Quem está mal, que se mude.
-Quem está vivo, sempre aparece.
-Quem estraga velho, paga novo.
-Quem fala no barco, quer embarcar.
-Quem faz mal, espere outro tal.
-Quem faz o que pode, a mais não é obrigado.
-Quem feio ama, bonito lhe parece.
-Quem guarda, acha; e quem cria, mata.
-Quem longe vai casar, ou é enganado ou vai enganar.
-Quem madruga, Deus ajuda.
-Quem mais alto sobe, ao mais baixo vem parar.
-Quem mais jura, mais mente.
-Quem mal anda, mal acaba.
-Quem mal entende, mal conta.
-Quem me repreende, do mal me defende.
-Quem meu filho beija, minha boca adoça.
-Quem muitas estacas estancha, alguma lhe há-de pegar.
-Quem muito apalpa pouco acerta.
-Quem muito chora, pouco mija.
-Quem muito dorme pouco aprende.
-Quem muito fala, pouco aprende.
-Quem muito se abaixa, o cu se lhe vê.
-Quem namora pelo fato, leva o Diabo ao contrato.
-Quem não aparece, esquece.
-Quem não arrisca, não petisca.
-Quem não chora não mama.
-Quem não come por ter comido, não é mal de grande perigo.
-Quem não confia, não é de confiar.
-Quem não cria, não tosquia.
-Quem não debulha em Agosto, debulha com mau rosto.
-Quem não deve, não teme.
-Quem não estorva, ajuda.
-Quem não estraga não estreia.
-Quem não governa a lenha, não governa a casa que tenha.
-Quem não lerda não medra.
-Quem não pede, não o ouve Deus.
-Quem não quer ser lobo, não lhe vista a pele.
-Quem não sabe ser caixeiro, que feche a loja.
-Quem não sabe, é como quem não vê.
-Quem não se fartou no comer, não se farta no lamber.
-Quem não se ri ao mês, ou é tolo ou quem o fez.
-Quem não se sente, não é filho de boa gente.
-Quem não tem bois, não promete carrada.
-Quem não tem bois, ou antes ou depois.
-Quem não tem cão caça com gato.
-Quem não tem dinheiro não tem vícios.
-Quem não tem marido, não tem amigo.
-Quem não tem padrinho, morre Moiro.
-Quem não tem vergonha todo o mundo é seu.
-Quem o alheio veste na praça o despe.
-Quem o inimigo poupa, nas mãos lhe morre.
-Quem parte e reparte e fica com a pior parte, ou é tolo ou não tem arte.
-Quem pássaros receia, milho não semeia.
-Quem pede a Pedro e paga a Gaspar, volta a pagar.
-Quem pega por moça, perde por força.
-Quem planta no Outono, leva um ano de abono.
-Quem poda em Março, vindima no regaço.
-Quem porfia, mata caça.
-Quem pouco sabe, depressa o reza,
-Quem primeiro alça, primeiro calça.
-Quem quer bom ervilhal, semeia-o antes de Natal.
-Quem quer festa, sua-lhe a testa.
-Quem quer sopas gordas, vaca nelas.
-Quem quer, vai; quem não quer, manda.
-Quem quiser bolota que a trepe.
-Quem quiser fazer uma viagem em paz, não leve mulher, nem cão, nem rapaz.
-Quem quiser luxo, que lhe custe.
-Quem quiser o alho cachapernudo, plante-o no mês do Entrudo.
-Quem sabe do barco é o barqueiro.
-Quem sabe falar, evita guerrilhar.
-Quem sai aos seus não degenera
-Quem saiba e pense, vence e convence.
-Quem se deserda antes que morra, merece uma cachaporra.
-Quem se mete por atalhos, mete-se em trabalhos.
-Quem se pica cardos come.
-Quem se quer ver sempre se encontra.
-Quem se rala morre cedo.
-Quem se veste de ruim pano, veste-se duas vezes por ano.
-Quem semeia ventos, colhe tempestades.
-Quem seu amigo quiser conservar, com ele não há-de negociar.
-Quem só mata, morre cedo.
-Quem só uma ovelha tem, mil lobos a comem.
-Quem te avisa, teu amigo é.
-Quem tem amigos, não morre na cadeia.
-Quem tem amores, tem dores.
-Quem tem boca não manda soprar.
-Quem tem boca, vai a Roma.
-Quem tem calos, não se mete em apertos.
-Quem tem capa sempre escapa.
-Quem tem cu tem medo.
-Quem tem filhos tem cadilhos.
-Quem tem fome, cardos come.
-Quem tem medo fica em casa.
-Quem tem Saúde e Liberdade é rico e não sabe.
-Quem tem sorte ao jogo não tem sorte aos amores.
-Quem tem telhados de vidro, não deve atirar pedras ao do vizinho.
-Quem tem unhas é que toca viola.
-Quem tem vagar, faz colheres.
-Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita.
-Quem tudo quer vingar, cedo há-de acabar.
-Quem tudo quer, tudo perde.
-Quem vai à guerra, dá e leva.
-Quem vai ao mar avia-se em terra.
-Quem vai para a cama sem ceia, toda a noite rabeia.
-Quem vê caras não vê corações.
-Quem vier atrás, feche a porta.
-Quem vive no convento é que sabe o que se passa lá dentro.
-Querer é poder.
-Queres pasmar o teu vizinho? Lavra e esterca p'lo S. Martinho.
-Queres um conselho, pede-o ao velho.

Sem comentários: